Bem-vindo ao RH da era digital

Quanto vale o seu tempo? Na era da internet e das agências bancárias digitais não faz muito sentido ir até ao banco para pagar uma fatura. Quanto tempo perderia no deslocamento? Na fila de espera (seja para acessar o caixa eletrônico ou para o atendimento no caixa físico)? E o que poderia ter feito neste período? Talvez, fechado um negócio, prospectado um novo cliente, concluído um plano de ação ou se reunido com os colaboradores para dar e receber feedback. Yes, “time is money”, como se diz na terra do Tio Sam.


Essa lógica se aplica aos negócios. Por que perder tempo com tarefas operacionais que podem ser automatizadas quando a tecnologia está a serviço da organização? Por que manter uma área tão importante como o RH mergulhado na pesada rotina de vencer a burocracia, quando poderia se posicionar de forma mais estratégica, melhorando a performance dos colaboradores e os resultados da empresa? Mais uma vez, não faz sentido.


No mundo dos negócios, em time que está ganhando se mexe, sim! E não é só uma questão de não deixar o bonde – ou a oportunidade – passar. É mais do que isso: trazer o RH para a era digital abre caminhos para um modelo de gestão de talentos baseado no planejamento estratégico e na inteligência do negócio com foco nos resultados.


Confira a seguir como um software de ponta aumenta o poder de gestão e de inovação do RH e contribui para a melhoria contínua da empresa.


Automação


Segundo a empresa americana Humanos Bambo RH, 90% das planilhas de empresas que ainda não utilizam um software de RH contêm erros significativos.


Uma ferramenta exclusiva para a gestão de RH automatiza as tarefas burocráticas e repetitivas e elimina as planilhas, otimizando o tempo e os esforços ao mesmo tempo em que reduz ao máximo a possibilidade de falhas operacionais e o retrabalho.


Imagine um relatório de avaliação de desempenho dos profissionais por setor de atuação. Fazer isso manualmente pode levar dias, sem contar as falhas e o estresse do trabalho. O sistema faz o mesmo em minutos, com acerto.


Mensurar resultados


“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, não há sucesso no que não se gerencia”


. A frase atribuída ao estatístico e consultor norte-americano William Edward Deming, que contribuiu muito para a reconstrução do Japão no pós-guerra, nuca foi tão atual como hoje, de rápidas transformações.

Não é novidade que tomar decisões sem uma base concreta – e confiável – de dados traz uma série de riscos à empresa, imediatos ou não, que podem inclusive comprometer a sobrevivência do negócio. Há quem ainda corra esse perigo desnecessário. 


Os softwares de gestão permitem acessar em tempo real e de qualquer lugar indicadores atualizados, como avaliação de desempenho, índice de absenteísmo, pesquisa de clima organizacional, bem como gerenciar subsistemas, entre eles cargos e salários, recrutamento e seleção, além de treinamento e desenvolvimento.


Melhoria contínua


Além de mostrar quantitativamente e de forma objetiva o valor produzido pela organização, os dados dos subsistemas podem indicar pontos de fragilidade ou mesmo intercorrências negativas nos processos.


Essas informações permitem a tomada de decisões mais assertivas e em tempo para evitar ou estancar a sangria, no caso o lucro escorrendo pelo ralo, seja através da perda de talentos (turnover), da queda de produtividade, entre outros.


Também podem desencadear a criação e implantação de estratégias e rotinas mais eficientes que resultem na diminuição de desperdícios, maximização da produtividade e aumento da receita.


Outro ponto positivo é que o compartilhamento dos indicadores com os gestores melhora e agiliza a comunicação, bem como integra o trabalho entre o RH com os demais departamentos, alinhando as políticas de administração pessoal aos objetivos estratégicos da empresa.


Operacional para estratégico


Com a automação das tarefas operacionais e indicadores ao alcance de um clique, o RH deixa de ser operacional para ser alçado ao posto de setor estratégico, parceiro do negócio. Deixa de ser braçal para atuar como “cérebro” nas atividades estratégicas e de inovação na gestão de pessoas.


Os profissionais da área de RH podem concentrar esforços para desenvolver ações que potencializem o desenvolvimento dos colaboradores, o engajamento e a construção de uma cultura organizacional colaborativa e forte.


Isso sim gera valor, satisfação dos funcionários e pode impactar – absurdamente e positivamente – nos resultados da empresa.


A escolha do software


Agora que você sabe como a tecnologia serve de alavanca de inovação e eficiência para as empresas, resta escolher o software. Se a sua organização tem a partir de 50 colaboradores, temos a solução: o RHGestor.


O software tem uma interface amigável, pode ser customizada e é dividida em módulos sem custo adicional (gestão da avaliação de desempenho, cargos e salários, processo admisssional, plano de desenvolvimento individual, clima organizacional, banco de talentos, controle do absenteísmo, além de avaliações comportamentais).


Para saber como revolucionar a gestão de pessoas, peça uma demonstração gratuita do RHGestor.



Elaine Ogasawara - Jornalista VP Soluções